Respostas dos Exercícios da Oficina Textual de Crônicas para as OLP - 9.º ano - Aula 39

Escola Municipal de Ensino Fundamental e Médio Luiz Joaquim dos Santos
Professora: Luciene
Componente Curricular: Língua Portuguesa
Série: 9.º Ano
Turma: A
Turno: Manhã
Conteúdo: Oficina Textual de Crônicas para as Olimpíadas de Língua Portuguesa (3)
Semana 20 – Aula 39 – DIA: 23 / 07 / 2021 – Sexta-feira

Respostas dos Exercícios da Oficina Textual de Crônicas para as OLP - 9.º ano - Aula 39

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO DA APRENDIZAGEM

1 – Pensando na relação entre tema e título de um texto, responda às questões abaixo sobre o texto que você leu.

a) Qual é o tema do texto que você leu?

O tema do texto é "O lugar onde vivo", no caso, a narradora mora em um morro, e esse é o tema, assunto.

b) Qual é o título do texto que você leu?
O título do texto é "Meu morro".

c) Reflita e responda: Por que a autora deu esse título ao seu texto?
A narradora, provavelmente, escolheu este título porque o morro (comunidade habitualmente chamada de favela) é o lugar onde ela mora e escreveu sobre na crônica.

QUESTÃO 2 – A crônica é um gênero textual que quase sempre é curto, tem poucas personagens e se inicia quando os fatos principais da narrativa estão por acontecer. Por essa razão, nele o tempo e o espaço são limitados. Em “Meu morro”:

a) Quais são as personagens envolvidas na história narrada?

A narradora Maria Eduarda, Dona Josefa, Brenda, os filhos da Michele, Dona Maria, os policiais, o garoto assassinado e a mãe deste garoto.

b) Onde aconteceram os fatos narrados? De modo geral, como esse lugar é descrito?
Os fatos narrados aconteceram no Morro do Macaco, comunidade descrita como um lugar bastante agitado.

c) Quanto tempo (minutos, horas, dias, meses...) duram os fatos narrados por Maria Eduarda em seu texto?
Os fatos narrados por Maria Eduarda duraram torno de 24h, pois a crônica se inicia quando o dia amanhece e se estende até o amanhecer do dia seguinte.

QUESTÃO 3 – Numa crônica, os fatos podem ser narrados por um narrador-observador (que é aquele que relata os fatos, mas não participa deles) ou por um narrador-personagem (que narra a história e participa dela). Qual é o tipo de narrador nesta crônica?

a) ( ) Narrador-observador.
b) ( X ) Narrador-personagem.

QUESTÃO 4 – O cronista tem o olhar atento nas notícias de jornais e nos fatos do dia a dia. E escreve sobre eles com sensibilidade, ora criando humor, ora provocando uma reflexão crítica acerca da realidade.

a) Pense um pouco: A história relatada na crônica “Meu morro” é apenas ficcional, ou seja, inventada pela autora?

A história é baseada na realidade dos moradores do Morro do Macaco, porém na crônica pode conter alguns traços de ficção.

b) Conclua: Na crônica, Maria Eduarda apenas narra os fatos ou busca apresentar um novo olhar sobre eles?
Na crônica, Marai Eduarda busca apresentar um novo olhar sobre os fatos narrados, ou seja, a forma como ela enxerga o morro.

c) Que objetivos a autora da crônica “Meu morro” tem em vista: tratar cientificamente de um assunto, divertir o leitor ou levar o leitor a refletir criticamente sobre a vida na comunidade periférica?
A autora da crônica "Meu morro" busca, através da sua narrativa, levar o leitor a refletir sobre a triste realidade da vida na periferia (do morro), lugar em que, em meio à agitação, muitas vidas inocentes se perdem em confrontos entre membros da comunidade e policiais.

QUESTÃO 5 – Observe a linguagem empregada na crônica “Meu morro”.

a) Os fatos são narrados de forma pessoal/subjetiva, ou seja, de acordo com a visão da autora, ou são narrados de forma impessoal/objetiva, como na linguagem jornalística?

Os fatos são narrados de forma pessoal/subjetiva, de acordo com a visão da autora.

b) Em relação à linguagem, a crônica é mais parecida com as notícias de um jornal ou com os textos literários (como o conto, o mito, o poema)?
A linguagem da crônica se aproxima mais da linguagem dos textos literários.

QUESTÃO 6 – Releia os seguintes trechos da mesma crônica:

I – “O morro acorda sempre apressado, agitado.”
II – “[...] portas e janelas se escancaram [...]”
III – “[...] melodias, risadas saltam soltas daqui e acolá.”
IV – “As luzes tomam seu lugar [...]”
V – “Portas e janelas agora fechadas, amedrontadas pelo caos armado.”
VI – “Enquanto a noite ficou ali… Estendida no chão.”

a) Observe cada um dos seres destacados. Eles são seres animados (com vida) ou inanimados (sem vida)?
São seres inanimados.

b) Que ações e características são atribuídas a cada um desses seres em cada trecho retirado do texto?
- O morro: acorda apressado/agitado;
- Portas e janelas: se escancaram/estão amedrontadas;
- Melodias, risadas: saltam soltas;
- As luzes: tomam seu lugar;
- A noite: ficou estendida no chão.

c) Diante do que você respondeu, reflita e escreva: Essas ações/características são comuns para esses seres? O que será que a autora pretende ao fazer isso, escrevendo, por exemplo, que “a noite ficou ali... Estendida no chão”?
Estas ações/características não são comuns. A autora pretende ao fazer isso mostrar seu o olhar poético/literário de cronista sobre esses seres.

0 Comentários